segunda-feira, 22 de junho de 2009

Sinto muito, mas preciso falar

Não tenho fé suficiente para ser ateu...

Na sociedade ocidental a palavra ateu significa simplesmente a descrença em Deus. Confesso que até admiro ateus, não por seu ateísmo, mas por terem fé o suficiente para não acreditarem em Deus. Para se declarar ateu é preciso ter muita fé, e bote fé nisso. Eu teria que abrir mão de uma série de obviedades.Inclusive, negar a lei elementar da ciência: a de causa e efeito e ignorar a existência de Jesus histórico (não falo nem do Jesus bíblico), só para citar duas obviedades. Imagine ter que admitir que algo pode vir a existir sem que alguém o tenha edificado, construído, produzido? Confesso honestamente: Não tenho conteúdo, nem fé suficiente para ser ateu. Vendo um Site especializado em ateísmo, li uma lista de pessoas “famosas” de A a Z que se declararam atéias. Até Albert Einstein, cientista que descobriu a Lei da Relatividade aparece na relação como ateu. Einstein, judeu, é autor da famosa frase: “A ciência sem a religião é paralitica, a religião sem a ciência é cega”. A lista relaciona todas as “celebridades” de todas as áreas do conhecimento humano através da História,declaradamente ateus,segundo o Site.É como se os autores da Página quisessem dizer “ Veja, os maiores gênios são ateus. Só os bobos creem em Deus.” Mas, seria isto verdade? Alguém poderia ser extremamente sábio para assimilar conhecimentos extremamente complexos, mas extremamente tolo e rude para assimilar e compreender eventos extremamente simples. O fato de alguém ser um cientista respeitado e famoso ou um ateu que desenvolve uma linha de argumentação aparentemente coerente, não significa dizer que estejam corretos. Afinal, já foi dito por Shakespeare: "há muito mais coisas entre o céu e a terra do que a nossa vã filosofia possa imaginar". Além do mais, qual a utilidade prática de ser ateu? Isto me fará mais feliz? Sofrerei menos? Deixarei de ter conflitos existenciais? Deixarei de ser pó e cinza? As coisas como são, serão alteradas por causa do meu ateísmo? Contribui para eu ser menos revoltado, menos amargo? Enfim, meu ateísmo está colaborando para um mundo de paz e fraternidade entre as pessoas? Ou tenho que estar fazendo esforços insanos para negar o óbvio? Lembrei de Charles Darwin. Ele era um crente fervoroso que estava se preparando para ser pastor anglicano. Ele tinha 22 anos quando embarcou no BEAGLE ,um veleiro da marinha inglesa. Essa viagem deixou Darwin famoso para o mundo, mas em dívida com o Céu. No seu livro" A Origem das Espécies” ele afirma: “ O mundo não foi criado por ninguém...” “ todos os grupos, inclusive, plantas e microorganismos conduzem a uma única origem da vida na terra – A ameba original”. Com estas afirmações Darwin excluiu a possibilidade de um Ser Criador. Não foi forte o suficiente para acrescentar :“-Mas por trás de todo o processo evolutivo, há uma Mão divina conduzindo esse desenvolvimento”Talvez, eu até gostasse de ser ateu, no entanto, as obviedades não permitem e minha fé é tão pouquinha para isso...


Marcos Antonio Vasco Rodrigues.
Esta obra está registrada e licenciada. Você pode copiá-la, distribuí-la, exibi-la, executá-la desde que seja citado o autor original. Não é permitido fazer uso comercial desta obra.Publicado em: 21/06/09

2 comentários:

Alquimia de um ser disse...

Parabéns Marcos, HOMEM DE POUCA FÉ rs... Eu não sou ateu, mas o obvio não me é tão obvio quanto pra vc. As vezes é mais fácil não crê em um SER SUPREMO, e não ter a quem temer quando pecar. Um ponto que achei perfeito dou quando vc alerta sobre os gênios, tipo o que querem passar pra nós. Se os grandes gênios não acreditam em Deus, quem somos nós pra crê? Brilhante.

Simplesmente Teresa disse...

Oi Marcos!

Ler-te é sempre uma grata surpresa.
...Realmente, para ser ateu não basta descrer, tem que ter muita fé, e isto, nós ateus temos de sobra...Graças a Deus!
Parabéns querido! Texto escrito com maestria. Beijos com carinho!