terça-feira, 16 de agosto de 2011

Tristeza tem fim,saudade não

São necessários vários relicários para guardar tanta saudade. Desde a nossa mais tenra idade ela se apropria de um dos compartimentos de nossa alma e fixa, ali, sua morada definitiva. Com freqüência, ela desperta e traz de volta momentos absolutamente inesquecíveis, faz nosso peito ficar quente e nosso coração pensativo. Precisamos, de vez em quando, refreá-la com a nossa razão, a fim de que ela não se transforme em tristeza e melancolia. Neste caso, ela já passaria a ser algo nocivo. Segundo a História oficial, muitos negros na época do Brasil-colônia trazidos como escravos morriam de saudade, tristeza e melancolia.
Carrego comigo,como  todas as pessoas uma história de saudade eterna.Já faz parte do coração do meu sentimento a lembrança  com ternura e saudade da figura angelical da minha primeira namorada. Na época, eu tinha dezesseis e estava no auge do sonho e da fantasia. Sinto saudade do silêncio e da inocência dela. Falávamos pouco. Só a companhia e a troca de olhares já eram suficientes. Havia uma empatia produzida pelo ambiente bucólico e pela fantasia do sentimento. Pelas janelas da alma dela eu sentia que sua paixão por mim era maior que a profundidade do oceano. Ficávamos sentados no batente de entrada do velho casarão da casa dela. Eu chegava lá às cinco e meia da tarde e ao nosso dispor um vasto horizonte e o estonteante cair da tarde. Minha sensibilidade de adolescente apaixonado conseguia perceber a tristeza do horizonte. Por que ele sempre ficava triste ao entardecer? Estaria prevendo o fim do nosso romance? Parece que sim. Justamente neste clima de encanto e mistério que envolvia nosso sonho, ela teve que ir embora para outra cidadezinha, deixando um rastro de desolação e eterna saudade. E o pior: se despediu de mim por carta. O que teria acontecido?Até hoje,ainda espero por essa resposta.Ora, Se a saudade não envelhece, não morre, ao contrário do que se afirma, de onde ela vem? Seria de Deus?
Se Deus manifesta sentimentos de arrependimento, pesar e tristeza, por que não manifestaria, também, sentimentos de saudades? Mas por que Ele a sentiria e por quem?
Todos nós temos histórias sem fim de saudade para serem contadas.E se a saudade vem de Deus, confesso que gostaria de saber as histórias das saudades de Deus.Além do mais,aprendi também com minha história de  saudade que,ao contrário do que afirmara um famoso poeta de nossa Língua,que tristeza tem fim,saudade não!

Marcos Antonio Vasconcelos Rodrigues

Esta obra está registrada e licenciada. Você pode copiá-la, distribuí-la, exibi-la, executá-la desde que seja citado o autor original. Não é permitido fazer uso comercial desta obra.

2 comentários:

Veronica Lucena disse...

Saudade....Como dói a saudade...Quem não sente saudade? Acho que todos nós que temos um pouquinho de amor nos nossos corações sentimos. Sofro muito com esse sentimento que trago dentro do meu peito. Sou muito sentimental e me apego muito as pessoas e quando elas somem sinto muitas saudades.Queria não sentir...Mas no coração ninguém manda. Parabéns amigo. Amei seu texto. Felicidades!!!

meu toque disse...

Estou sempre aqui e mesmo assim tenho saudades de mim.