segunda-feira, 27 de abril de 2009

Sinto muito, mas preciso falar...

Palavras e Frases na U.T.I.


Algumas palavras criadas para expressar sentimentos nobres perderam gravemente sua essência, seu conteúdo original. Como nós, tais palavras e expressões precisam ser restauradas.Quem duvida que frases como “meu bem”, “meu amor”, “eu te amo”, ”beijos” e tantas outras tenham a mesma força de alguns anos atrás, por exemplo, nos anos 70?Transformaram “meu amor”, “meu bem” e outras expressões eternas em vocativos, nomes próprios... “Meu amor ,você vem hoje?”, “Meu bem, hoje não posso te atender”. O problema não está em se chamar alguém de “meu bem” ou “meu amor”, mas no fingimento e na falta de sinceridade escondidas,às vezes, por trás destas frases e palavras. Como posso chamar de “meu amor”, “meu bem” a pessoas que, às vezes, nem conheço? Eu prefiro ser chamado pelo meu nome, me particulariza, me distingue, é mais sincero. Não me massifica. As palavras “amor”, “eu te amo” são expressões fortes e sérias, mas tiraram a seriedade delas. A palavra “amor” foi criada para expressar o maior sentimento do Universo. Ele está associado à fidelidade, respeito, renúncia, sacrifício. Menos a banalidades.Até mesmo um dicionário da Língua Portuguesa em sua definição sobre “amor” confunde-o com paixão, diz o dicionário: “atração espontânea e intensa por alguém ou por alguma coisa”. Esta definição cabe bem para “paixão” que é como um relâmpago, é centralizada no imediatismo, busca alegria e prazer próprio. Ao passo que o “amor” cresce com a maturidade da pessoa e é alimentado por sentimentos nobres.Além disso, “meu amor”, “meu bem” se utilizadas fora do sentido original podem assumir outros significados.Alguém poderia chamar outro de “meu amor”, “meu bem”, somente para agradá-lo e assim passar, a idéia de uma pessoa dócil e amável, ou ainda, serem usadas de forma irônica. “Meu amor” pode ser “meu inimigo”. No caso ,ironia. Pode-se, ainda, utilizar estas expressões pela força da cultura, do hábito, de forma “mecânica”. Todo mundo chama todo mundo de “meu bem”, “meu amor”, “meu anjo” eu também passo a utilizá-las, naturalmente, uma vez que a gente tem a mania de repetir o que ouve, sem refletir, analisar. O entendimento incorreto sobre os conceitos de “amor”, “paixão” e “gostar” tem trazido muitos problemas. Muitos crimes passionais, inclusive, não aconteceriam. Às vezes, alguém traído, guardou no coração palavras como “eu te amo”, “eu te adoro”... e acreditou nelas. Não analisou se eram palavras fingidas, mecânicas... ou só um momento de emoção, não comparou as palavras de tal pessoa com suas atitudes, comportamentos...na verdade, não sabemos diferenciar sentimentos tão complexos como paixão e amor. E sobre os “beijos”? Bom dia, boa tarde, boa noite foram substituídas, principalmente, nas comunicações eletrônicas por “beijos”. E qual o problema de se mandar “beijos” a torto e a direito para conhecidos e desconhecidos? Aparentemente, nenhum mal. Mas veja que as pessoas criam ou impedem “aberturas” por meio das palavras. Por exemplo, quando chamo alguém de senhor, senhora estou limitando através das palavras o tipo de tratamento que quero dar e receber, isto se refletirá claramente nos meus relacionamentos.“Se alguém encerra a conversa com “beijos” ela abre, naturalmente, mesmo que não seja sua intenção, uma condição para dizer “beijos” aqui, beijos acolá e assim por diante”.Coitadinhas das palavras. Não é somente a natureza que aguarda ansiosamente a adoção do homem como filho de Deus, como disse o apóstolo Paulo, mas as palavras também.

Marcos Antonio Vasco Rodrigues

Esta obra está registrada e licenciada. Você pode copiá-la, distribuí-la, exibi-la, executá-la desde que seja citado o autor original. Não é permitido fazer uso comercial desta obra.
Publicado em: 22/04/2009

Um comentário:

N'gana disse...

Sou o Abastado, e posso lhe que estou muito contento da opinião que partilhou conmigo. Acho que se todo o mundo pensava como você, poucas pessoas morreram de tristeza. Porque diz a uma pessoa "meu amor", jà que està pessoa ama, vai pensar que você também.
Parabem pelo seu sujeito!
martsius@hotmail.com