quarta-feira, 26 de agosto de 2009

A INCOMPREENSÍVEL ESCOLA DO DESERTO

Haveria algo agradável no deserto? A própria origem da palavra é dolorosa, vem do latim “desertus” que significa “abandonar”. É um ambiente absolutamente perigoso. A população de animais é formada por ratos-cangurus, serpentes, escorpiões e uma enorme diversidade de seres vivos que se escondem sob a areia desértica para se protegerem do calor excessivo.Tempestades violentas são frequentes, a vegetação é irregular e insuficiente para oferecer qualquer espécie de abrigo. A própria vegetação já se adaptou à salinidade e à seca do deserto. Falta água, alimento, tudo.
Toda essa paisagem do deserto produz em quem está ali sentimentos indescritíveis de solidão extrema, medo, incerteza, perigo, ansiedade, melancolia... que Pai amoroso teria coragem de enviar seus filhos para treinamento numa escola com estas características? Claro que todos responderiam, - ninguém, não é mesmo? Pois saiba que a principal escola que Deus tem utilizado para treinar seus amados filhos campeões – tem sido a do deserto. Não que Ele quisesse entregar seus amados às feras deliberadamente. De forma indireta,seus filhos recebiam ajuda e apoio. Parece que Deus queria treinar, capacitar, fortalecer emocional e espiritualmente seus guerreiros para enfrentar outros desertos piores. “ Ele falou por meio do profeta Jeremias” ... Os meus caminhos não são os vossos caminhos, nem meus pensamentos são os vossos pensamentos “...
Cito ,por exemplo, o Êxodo comandado pelo campeão Moisés. É absolutamente incompreensível à razão humana, que o Senhor tenha tirado o povo da escravidão no Egito, para levá-lo ao deserto. No Egito o povo era humilhado, cativo, se submetia a trabalhos forçados. Contudo ,tinha pão e água em horários específicos, os riscos que corriam eram bem menores em comparação aos que corria no deserto. Mesmo assim, Deus falando por meio do profeta Ezequiel, disse: “Tirei-os da terra do Egito e os levei ao deserto” pelo contexto bíblico Deus dá a entender que o deserto seria melhor que o Egito.
Analisando o comportamento do mais proeminente campeão de Deus,Jesus, quando esteve no deserto,percebe-se que Ele parece ter se comportado como um cerdo selvagem. “ Quando um cerdo leva um tiro, ele lambe a ferida e procura safar-se, escapar, ir embora. O “pensamento” que lhe vem à mente é a ferida que está fazendo com que ele ande mais devagar”. Ele não pensa na morte... Jesus levou vários “ tiros” no deserto, porém se comportou como um cerdo.
Está escrito: “ E logo o espírito o impeliu para o deserto, onde permaneceu quarenta dias, sendo tentado por satanás. Estava com as feras". Percebe-se que Jesus corria o risco iminente de morrer a qualquer momento ( tentação do diabo, feras, o ambiente letal do deserto...) Mas como um cerdo selvagem, ele não se preocupou com a morte, mas “ em lamber as feridas"e continuar sua caminhada. E conseguiu. Venceu as tentações, as feras, o medo, a fome, a sede, os conflitos. Após quarenta dias de treinamento mortal e rigoroso, saiu da escola do deserto, mais preparado emocional e espiritualmente para enfrentar um outro deserto pior que o aquele que acabara de derrotar - o deserto da incompreensão e da ignorância humana.

Ps: Escrevendo este texto e meditando sobre as dores “ incontidas – contidas” dos campeões de Deus, especialmente de Jesus, meu coração não conseguiu refrear varias lágrimas quentes que abriram caminho no meu rosto. Este texto foi escrito com lágrimas. ´



Marcos Antonio Vasco Rodrigues

Esta obra está registrada e licenciada. Você pode copiá-la, distribuí-la, exibi-la, executá-la desde que seja citado o autor original. Não é permitido fazer uso comercial desta obra.Publicado em: 26/08/09

3 comentários:

**Sílvia** disse...

Boa tarde Marcos Antonio,
Nem todos são obrigados a passar pelo deserto.A maioria das vezes é o próprio homem q vai em buscar do deserto, pois o mesmo prefere ir pelo caminho q lhe é mais cômodo, e nessa caminhada acaba se prejudicando.Um exemplo: A maioria das pessoas não se relacionam fraternalmente pela fato de serem egoístas no seu próprio meio, muitas vezes no convivio, percebem erros e não sabem relevar os problemas e acabam valorizando outras pessoas q não tem nada a ver com a sua vida cotidiana.Valorizar o outro sem conviver é muito fácil, o desafio começa em casa.Foi só um comentário, poderia me estender mas tenho outras atividades para realizar.Um beijão , thauzinho.

amilton disse...

Z DO SENHOR PARA TODOS, EU GOSTEI MUITO DE BLOG É MUITO BOM PARA E DIFICAÇÃO DAS NOSSAS VIDAS, COM TINUE ASSIM VASO FICA COM DEUS PAZ .

Memórias! disse...

Boa Noite!Marcos Antonio; nunca me coloquei como Juiz.Respeito tudo o que é de Deus."Tendo tudo e nada tendo".Essa frase da Biblia ; diz que Deus não falhará.Somos Pequenos na Fé; e devemos confiar em Deus.Pois Paulo mesmo diz"Já tinha nos dados como mortos; mas o senhor nos salvou".Então tudo que promova o Bem comum , eu participarei.Vivo no Dom de Deus; pois não sei tanto dá Palavra.Pois quem a conhece peca muito mais.Minha Origem sempre foi respeitar o próximo; e pelo Bemcomum.Talvez o fato de apredermos que Politica e religião não se mistura.Tenha dado espaço ; para se comrromperem.Isso é muito triste, pois nunca investiram no ser humano.Fica com Deus meu amigo.Uma boa noite, e esse pequeno cometário.Pode mostra um pouquinho de mim.Obrigado.